Vote:

Páginas

Informação, opinião, filmes e fotografias:

- Particularmente, fazer postagem em blog é algo sério e interessante para o meu aprendizado. Por mais que o texto seja meramente um ''bom dia'' ou ''faz calor lá fora'', quero dizer que tudo têm um valor. É aqui que aprendo, erro e acerto. Gosto muito do meu blog, das postagens feitas desde o início e espero que você, leitor, encontre alguma coisa útil que lhe faça comentar ou criticar. Críticas (positivas ou negativas) são sempre aceitas e compreendidas. Pois, diga-se de passagem, é sempre bom ter um espaço pessoal e, supostamente, democrático.

sexta-feira, 31 de julho de 2009

Oportuno?

A vontade e a oportunidade, particularmente, devem ou deveriam caminharem sempre juntas. É estranho saber que enquanto muitos são obrigados a tomarem determinados caminhos, outros poucos seguem o que querem e procuram. Enquanto muitos vivem as dificuldades, poucos as desconhecem. 
 Talvez o segredo seja acreditar. Afinal, a vontade e o correr atrás não é o suficiente para futuras realizações. A oportunidade conta... e muito. Todos sabem que é preciso viver o real, que nem sempre o que vemos e o que dizem é o que é. Mas e daí? Temos que acreditar em algo ou alguém... se não o que adianta levantar todos os dias pela manhã!? 
Desistir de ser reconhecido? Dizem que Marilyn Monroe foi descoberta numa lanchonete... Os problemas e desilusões individuais de várias pessoas são, talvez, fruto da desigualdade existente entre essas mesmas pessoas. 
Não da pra acreditar que o presidente Lula e Barack Obama chegaram onde chegaram apenas porque batalharam pela presidência. Em algum momento da vida, sim, eles tiveram algum tipo de oportunidade. E que pessoa não precisa de uma oportunidade?
 Auto-ajuda? Não... esse tipo de conteúdo não convence quem se garante por si mesmo. É preferível a realidade composta por mentiras na adolescência. Enquanto isso, aproveitar o inverno rigoroso dos últimos 64 anos no sul e assistir um bom filme é pouco mais tranquilizante. Amanhã? Quem sabe não me descobrem na parada de ônibus... Se com Marilyn Monroe...
 

terça-feira, 28 de julho de 2009

De moment(o) em momentos...

A fotografia enquanto prazer e crescimento profissional:











O Photoshop disfarçado


A sociedade em seus mais diversos aspectos e recursos sofre interferências cotidianas, terrestres, ambientais, culturais, políticas e tecnológicas. Dentro desse contexto diversificado, torna-se difícil limitar o processo transformador em sociedade, mas tentador em discutir um conceito de mundo.  
 Se ontem o processo da mensagem e da relação entre remetente e destinatário era obviamente mais complexa - e não por isso menos afetiva - hoje, o comportamento existente entre um e outro comprovam que estamos vivendo no século XXI. 
 Assim foi com a política, com as mulheres, com os homossexuais e principalmente com a tecnologia. Quem imaginava que o messenger, o orkut, o e-mail e o twitter fariam parte do cotidiano de milhares de pessoas? O que é mais fácil... Acordar e ligar o computador ou ver a hora no celular? 
 Entre as mais profundas mudanças sociais ligadas ao desenvolvimento e surgimento de um novo homem, envolvendo as mais novas criações e necessidades humanas, o homem se depara com uma variedade interminável de ''brinquedos tecnológicos'', os quais, servem ora para o entretenimento, ora para o profissionalismo. 
 Se a fotografia do século XIX era produzida e trabalhada de modo insuficiente para a agilidade de hoje, devido os mais simples e pequenos recursos, as camêras digitais surgem como uma nova forma de agradar um público ''variado e fiel às inovações tecnológicas''. Dessas inovações, qualquer observador atento às mudanças sociais consegue perceber os resultados obtidos no meio dos variados. 
 Orkut bombando e a fotografia tornado-se cada vez mais democrática. E esse comportamento garante a sobrevivência da foto profissional? Se cada um pode fazer o que bem entender com a camêra digital, como se destacar nesse contexto? Como reagir ''frente'' aos diversos sites que ajudam disfarçar erros e ainda oferecem truques? Problemas que partem de uma visão particular e individual.
Quanto ao contexto social, outros problemas disfarçados e escondidos, talvez pelo photoshop , também surgem como prova de uma realidade diversificada e desigual. A tecnologia e todo seu desenvolvimento que atende aos grandes centros... é claro, não chega a todos. Uma desigualdade que, inserida dentro de um contexto, parte do avanço tecnológico.
E como ficam os desiguais? Fora do sistema de e da elite? Talvez, o grande erro esteja em a classe inferior buscar se inserir num contexto que ainda não pertence a ela e que, infelizmente, faz parte da realidade social brasileira. 

sexta-feira, 24 de julho de 2009

quinta-feira, 23 de julho de 2009

Válido

Tumultuado cotidiano


Enquanto alguns se preocupam com a inteligência humana, outros detonam a informação destinada a essa mesma inteligência. Enquanto a arte e a cultura interessa aos supostos ''cultos'', outros são verdadeiros fúteis. E o que é certo ou errado nesse fluxo indeterminável de contradições? Saber detalhes da morte de Michael Jackson ou se preocupar com a gripe suína?

O que torna mais interessante? O Rio de Janeiro retratado nas obras de Machado de Assis, o sofrimento dos judeus e ''companhia'' nas mãos dos nazistas ou as gravações telefônicas da família Sarney? O cotidiano surpreende e acrescenta aos inteligentes e interessados a suposta inteligência

quarta-feira, 22 de julho de 2009

''Relevante''

Geral | 22/07/2009 | 15h01min
 
Paulista registra lugares em Caxias do Sul

Saulo José Favoretto, 20 anos, adora fotografar por onde passa na cidade  
  
 Márcia Dorigatti | marcia.dorigatti@pioneiro.com 
 
 O estudante do sexto semestre de jornalismo Saulo José Favoretto, 20 anos, está morando em Caxias do Sul há cerca de 20 dias.  Ao conhecer a cidade nesse período, este apaixonado por fotografia registrou os lugares por onde passou. 
Natural de São Paulo, mas cursando universidade em Maringá, no Paraná, veio nas férias conhecer o Rio Grande do Sul. Não quis mais voltar. 
— Como a cidade onde morava no Paraná era muito quente, e sempre gostei do frio, minha adaptação está sendo muito agradável — explica. 
Favoretto enviou as imagens que fez de Caxias do Sul para a seção Meu Álbum, do pioneiro.com.

 Participe você também e envie suas imagens para a seção Meu Álbum  
 
   
''Quando seu trabalho começa a ser reconhecido, a sensação é outra. Você passa a acreditar que o que você faz é bom e interessante.''
 
 Saulo José
 
 http://www.clicrbs.com.br/pioneiro/rs/plantao/10,2589130,Paulista-registra-lugares-em-Caxias-do-Sul.html
Que seja só o começo... 

quarta-feira, 15 de julho de 2009

15/07/2009

Na vida, o desejo de desistir não ocorre porque falta o dinheiro, o carro, o pão e o cigarro... e sim porque as pessoas sempre fazem ao contrário do que dizem. Elas sempre dizem que o amor está acima de tudo e que a fé move montanhas, é isso que elas gostam de dizer.  Eu já não me preocupo mais.

Se dizem que o Michael Jackson morreu por causa de remédios e etc, é porque ele realmente morreu. Se afirmam sua sentença é porque algo você está devendo. Enfim, enquanto elas dizem isso e aquilo eu prefiro me preocupar com o que me agrada e dará um retorno ''num futuro próximo''. E que se danem, eu não estou nos melhores dias mesmo. Quem são essas pessoas pra me julgarem?  

Nada vai me fazer cair e é por isso que ''eu sempre procuro mostrar o que sei e o que quero fazer''. Nessas horas, poucas coisas não me fazem desistir... E olha que elas serviriam pra bancar belas detetives. Que se danem... Eu ainda prefiro minhas fotografias do que as discussões alheias. 










 

terça-feira, 14 de julho de 2009

''Pensamento''

A escritora francesa, filósofa e feminista Simone de Beauvoir disse, em algum momento da vida e em uma de suas obras, que a mulher ''não nasce mulher: torna-se mulher''. E eu diria que ''ninguém nasce humano: torna-se humano''. 

segunda-feira, 13 de julho de 2009

Campanha Contra o Crack


Editando...

Ao assistir ''A Caçada'', filme que acredito ser bastante interessante para qualquer estudante de jornalismo, tomei a decisão de analisar - a partir deste - como nós jornalistas somos representados nas mais diversas histórias e produções cinematográficas. Anuncio, portanto, o início de uma ''sessão cinema'' por quem não estuda cinema, faz jornalismo, admira a sociologia e admira a história. 

A Caçada dirigido por Richard Shepard abriu caminho para estudos e análises próprias embasadas, ora na curiosidade e no gosto pelo tema, ora no conhecimento acadêmico, nas leituras de revistas, livros e jornais. Há também uma contribuição dos diversos programas televisivos sobre cinema, os quais em algum momento ''fomentaram'' o questionamento e a curiosidade pela atividade jornalística abordada no cinema. 

Entretanto, a história com base em fatos reais impressiona ao mostrar varios lados da profissão de um profissional do jornalismo. Como jornalista, algumas observações tornaram-se óbvias, talvez corretas e fieis a nós profissionais.  

O filme que se inicia com a presença de dois jornalistas na cobertura de guerras e entre elas, uma específica guerra na Bósnia, ganha proporções inevitáveis a aborda alguns dos mais importantes temas do jornalismo...

 

domingo, 12 de julho de 2009

Ao Ponto da sexualidade(?)


O programa Ao Ponto da Tv Cultura desse domingo ''colocava na roda'' o debate sobre a questão da sexualidade na adolescência. O assunto que também foi focado em outros importantes temas, como o da aids, apresentou algumas discussões necessárias, mas nem tanto fora da obviedade. A participação do cantor Júnior - da dupla Sandy e Júnior - assutou um pouco, afinal,  Júnior Lima não é a melhor figura pra participar de um programa educativo (com todo respeito ao cantor e queridos fãs).

Quanto ao programa, a abordagem sobre a questão da aids no contexto dos jovens brasileiros nos faz pensar seriamente na realidade, problemas e, talvez, nos ''erros'' que a maioria dos jovens e portadores do vírus cometem na relação entre o desenvolvimento e a sexualidade.

A relação entre o próprio corpo e a sexualidade não é, particularmente, um comportamento democrático e consciente por esses jovens. A informação, por mais escassa que seja, está em algum lugar ou momento da vida de cada cidadão.

Doenças sexualmente transmissíveis, alcoolismo, consumo do cigarro e de qualquer tipo de droga, não acontece exatamente pela ausência de informação, mas pelo distanciamento que as próprias pessoas causam entre a informação e os recursos oferecidos social e culturalmente.

Recursos, as vezes, simples e necessários para grandes cuidados. Os jovens falam tranquilamente sobre sexo, mas ao mesmo tempo se envergonham de pedir preservativos nos postos de saúde. Um comportamento que acarreta os mais diversos equívocos e consequentes problemas.  

sábado, 11 de julho de 2009

''Um olhar ''diversificado'' sobre Caxias''

  Todo bom jornalista sabe que ser um profissional da comunicação é ter tamanha responsabilidade com a educação, com o social, com a informação, com a ética e com as 24 horas que fazem parte do nosso dia.
 A informação que pode estar, ora nos veículos de comunicação, ora “numa’’ conversa informal, nos faz pensar e agir constantemente a favor do profissionalismo, do conhecimento e da aprendizagem. Com a fotografia não seria diferente.
A prática fotográfica também ensina, informa, faz ver das mais variadas formas e diferentes ângulos e, muitas vezes, encanta e apaixona quem produz ou quem faz a leitura de uma boa imagem.
Considerando os aspectos acima, tive a idéia sugestiva e oportunidade de fazer um “ensaio fotográfico” de alguns lugares durante uma viagem ao sul do Brasil. Em “Um olhar sobre Caxias” procuro mostrar, através da fotografia e de uma visão particular, locais e pessoas que identificam o município de Caxias do Sul.  
A vontade de aprender te impulsiona a ter uma visão diferenciada dos demais. Você sai como se não houvesse rumo e nem hora pra voltar. E quando você vai, é preciso registrar o que você encontra. E o que você encontra nem sempre agrada a todos, mas pode - em algum momento - agradar a si mesmo.  Segue, portanto, apenas um aperitivo: